browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Bagunça – o pacote do filhote

Posted by on 24 de novembro de 2010

Uma questão de escolha simples

          E enquanto isso…
          Você se mantando para dar o melhor para seu novo hóspede e no decorrer dos dias ele passa a se sentir muito à vontade!!! Muito mesmo… a ponto de destruir tudo!!! Você sai, quando volta tem que fazer uma lista de reposições: sapatos, fios, controle remoto, celular, sapatos, meias, pés de móveis, puxadores das gavetas, plantas, (CUIDADOOO com as tóxicas!!!), sapatos…
          Seguindo a linha de raciocínio de trabalhar com a prevenção, não considerarei aqui questões relacionadas à faltas relacionados aos assuntos já tratados. Reforçarei alguns aspectos já ditos, mas não todos, ok?   Mesmo assim, se ainda restarem dúvidas, escrevam!!!
          O que o filhote sente? Até onde se sabe filhotes, no geral, possuem uma carga altíssima de energia (respeitando as peculiaridades individuais e de raça), vontade genética de explorar, mexer, interagir, eles têm imaginação e sentem o mundo de outra forma: usando mais o olfato e o tato com as patas e com a boca. Sim! Eles sentem o mundo com a boca! E o principal: as gengivas COÇAM!!!! E como coçam!!! Filhotes começam a trocar dentes por volta do 4º-5º mês, portanto essa é a fase mais crítica para esse assunto que estamos tratando!
          Foi possível entender o quadro??? Quando você sai e ao voltar encontra seu sapato roído, não é vingança, sacanagem nem fusquinha, mas sim um animal expressando um comportamento do jeito dele…
Então ok! Vamos dar BRONCA!!! Eu chego e dou uma palmada naquele safadinho, ou o coloco de castigo!  Ahhhh… ele sabe que está errado, porque quando chego ele já se esconde….
          Posso afirmar uma coisa: o caminho está errado. Essa maneira de ver, entender e lidar com a situação está distorcida e gerará desconforto para o guardião, para o cão, para a relação, além de trazer consigo mágoa, frustração… Olha quanta coisa negativa! Lido com isso diariamente… não há exceção.
         Então que tal fazer as coisas da forma mais leve, entender o processo, evitar problemas e crescer com esse serzinho que você escolheu para ser seu companheiro de matilha?
          Primeiro é fazer do parágrafo “O que o filhote sente” um mantra… interiorize isso… coloque-se no lugar do filhote como já fizemos… Depois de ter sentido como ele sente, você estará apto a lidar com as bagunças que ele promove no seu lar que era tão seu….
          Agora vamos dar vazão às características do cão!
         1) Alta energia: aí dependerá do cão, mas no geral, deixar o animal trancado o dia todo só resultará em uma coisa: loucura quando você chegar! E uma loucura que seguirá noite adentro… Então, atualmente existem diversos brinquedos que podem ser deixados para o filhotinho gastar o tempo. MAS… Não é pra passar no pet shop, comprar 1 milhão de pelúcias e dar para o filhote…. ele vai enjoar daquilo em 1 hora no máximo!!!     Quem tem filhos sabe o quanto a euforia por um brinquedo resiste dos 2 aos 5 anos…
        Então como fazer: cada brinquedo tem uma função e mais pra frente farei um post sobre enriquecimento ambiental dando mais detalhes. De modo geral, procure variar textura, tamanho, formato. Também adquira brinquedos que lhe permitam esconder petiscos ou ração dentro – bolas, ossos plásticos…     Eu costumo dizer para a pessoa comprar pelo menos um brinquedo de borracha maciça, outro de nylon (nylonbone), outro de corda e um de apito que pode ser aqueles plásticos ou pelúcia. Também pode comprar ou fazer uma salsicha de pano para que ele brinque de chacoalhar… eles adoram!!! Dessa forma você já terá um bom repertório.
          A outra coisa que oriento é sobre o rodízio de brinquedos, por questão de higiene, mas principalmente para forjar novidades sem ter que gastar muito dinheiro: faça 2 ou 3 grupos de brinquedos e sinta o interesse do seu cão. Troque os grupos semanalmente ou a cada 3 dias… Isso lhe dará tempo para lavá-los, secá-los e depois trocá-los.
         Caso seu cão DESTRUA um dos brinquedos, compre mais dele!!! Muitos mais!!! Se ele destruiu foi porque adorou o brinquedo!
         Toda vez que inserimos um objeto novo para um cão, devemos fazê-lo sob supervisão, pois existem cães que engolem objetos e por isso não devem ser expostos aos brinquedos que soltam grandes pedaços.
          Filhotes normalmente se interessam muito pelas coisas, mas mesmo assim eles percebem exatamente o que gera recompensa e o que não gera. Então se você o ignora quando ele está brincando e pensa “ufa! um minuto de sossego” isso servirá para ele como punição. Ser ignorado é algo muito ruim para o cão. Em contrapartida, quando ele pega uma meia sua, você corre atrás dele, grita e dá uma palmada (encosta nele).     Não importa em que contexto, mas isso é interpretado como atenção e você estará, dessa forma, ensinando o cão a não gostar dos brinquedos e sim de suas meias.
          Então, quando ele for brincar com os brinquedos dele, pense que aquilo é sua meia e corra atrás dele, arranque o brinquedo dele, jogue novamente… Não precisa ser muito, mas deve ser feito eventualmente.
          Também existem fatores ligados à alimentação, mas merece um post só para isso.
        Fazendo isso estamos também contemplando os fatores de exploração e necessidade de interação.     Seu cheiro deve estar nos brinquedos, pois o cheiro excita a imaginação dos cães, talvez por isso ele morda suas coisas enquanto você está fora!
       Ter um cão é positivo também para o fator organização. No início, se não quer ter suas coisas destruídas, não as deixe espalhadas… Cães mordem o pé da mesa por tédio, mas seu sapato eles mordem porque tem o seu cheiro e isso é grave! rs
         Mais pra frente, depois que o cão souber exatamente que os brinquedos são dele e que brincar traz muitas recompensas, podem ser feitas armadilhas pela casa: pegue objetos seus (velhos) e passe neles um produto amargo vendido em petshops. Particularmente oriento vocês a usarem Bitter Lime. É importado e muito mais caro, mas o barato pode sair mais caro ainda! Passem o amargo nos objetos e os deixe lá, espalhados. Normalmente o cão percebe o que é legal e o que não é.
         Uma coisa MUITO IMPORTANTE é não dar os objetos proibidos que o cão já destruiu para ele brincar. Isso deixaria o animal muito confuso, pois ele não saberia diferenciar o que é permitido e o que não é permitido.   Temos que ser coerentes, constantes e claros com os cães. Coisas minhas são proibidas, brinquedos seus são permitidos. Objetos destruídos devem ser jogados fora.
                                                    
                                                Osso de nylon roído – poderia ter sido o pé da mesa
          2) Dentes, coceira na gengiva: os brinquedos também ajudam muito nessa parte, mas um truque muito interessante é colocar ossinhos e até mesmo brinquedos no freezer e dar ao cão bem gelado! Não há filhote que não aprecie isso! Tive um caso de 3 filhotes de poodle que quando começaram a roer os ossinhos gelados, além de largarem todas as outras coisas proibidas, se plantavam em frente do freezer todos os dias para receberem os sorvetes de ossinhos. A guardiã usava os branquinhos mesmo, mas pode colocar outras coisas também.
          Deixando o ambiente enriquecido para o filhote e suprindo as necessidades naturais dele com aquela pitada de coerência, certamente a maioria dos casos se resolverá. Os que não se resolverem é melhor ter acompanhamento de um profissional para que ele diga com precisão onde está o problema.
          Dessa vez foi curtinho, a semana está super corrida! Posso escrever sobre enriquecimento ambiental na semana que vem!!!
          Bjos a todos!

2 Responses to Bagunça – o pacote do filhote

  1. Helena.

    Muito bom, sua forma de escrever deixa a leitura bem mais agradável, e tudo muito fácil de entender.bjos!Helena.

  2. Alessandra Caprara

    Obrigada Helena!Eu nem li pra postar, mas já vi vários erros de português que corrigirei neste momento!Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *