browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Passeio I – quem leva quem pra passear?

Posted by on 19 de julho de 2012

Ok, ponto comum: cães precisam passear!

Passeio é muito importante, soltar o cão na rua não é passeio, não é seguro e é ilegal em algumas cidades. Entretanto, passeio não é uma tarefa muito fácil, apesar de ser um momento riquíssimo de interação com o cão e uma grande oportunidade para estabelecer mais alguns limites.

Agora levante a mão quem consegue passear tranquilamente com seu dog, na rua, em horário movimentado e cheio de crianças correndo, gritando e andando de patins.

E  levante a mão quem sai pra passear com seu cão às 23h pra evitar qualquer ser vivo que se mova, ou aquele que vira e mexe é arrastado pelo peludinho. Mande umas fotos das cicatrizes, vai!

Não sendo uma tarefa simples, teremos mais textos sobre passeio elucidando outros pontos. Neste falaremos sobre: um aspecto da ansiedade, a guia correta e o real prazer de se passear.

Seu cão fica ansioso assim que você toca a guia dele?

Seu cão sai atropelando todo mundo pela porta (por todas as portas que tiver que passar) até estar na rua?

Seu cão só fica calmo depois que cansa e está voltando pra casa?

Ou ainda: seu cão empaca?

A primeira coisa que é necessário fazer: observe como você passeia com seu cão. Desde o momento que troca a roupa pra sair.

  • você segue uma rotina? Sempre a mesma roupa, mesmo tênis e mesmos movimentos?
  • você sai gritando e pulando pela casa: VAMOS PASSEAR!!! QUEM QUER PASSEAR? QUEM VAI COM A MAMÃE (ou papai)???
  • você coloca a coleira no cão só pra passear?

Vamos combinar uma coisa? Se você faz uma ou mais dessas coisinhas aí… pode parar.

O momento do passeio, para os cães (claro que a maioria e não todos), é um tanto ansiosa! Por si só eles já tendem a AMAR passeio, pelo que isso representa sensorialmente a eles (tudo muito rico em tato, olfato, visão e audição – muito estimulante). Se você valoriza demais o momento, então está dando um gás enorme para algo que já pode beirar o descontrole por natureza.

Deixar muitas pistas de que O MOMENTO chegou, também gera ansiedade. Rotina gera ansiedade, é só ela falhar um dia que você percebe isso. Comece a considerar colocar a coleira e a guia pro seu cão ficar em casa. No começo ele vai ficar confuso, mas logo vai parar de associar guia com passeio e isso facilitará MUITO sua vida (e a dele também).

A melhor guia para passeio é a de pescoço. A peitoral deixará o cão com tração nas 4 e você com deslocamento de ombro. Já vi pessoas deixarem de passear por começarem com dores crônicas no ombro, por esforço. Isso não é legal, acaba com o prazer.

Não use as guias enforcadoras  (também chamadas de guias unificadas) ou enforcadores. Apesar de serem ferramentas ótimas, o resultado do seu trabalho dependerá de quem a utiliza. Se você não sabe usar um enforcador, não obterá resultado satisfatório e correrá o risco de prejudicar a saúde do seu bichinho.

Estando com a coleira de pescoço, faça exercícios. O melhor é você empacar, esperar o cão parar de puxar e, só então, voltar a andar. Observe bem como seu cão leva você pra passear e comece a levá-lo da mesma forma: não preste atenção nele, mude de direção toda hora, pare quando achar que deve e ande quando quiser. Veja mais nesse vídeo:

 

 

Muitos problemas são resolvidos com esse exercício. O desempenho é melhor se você conseguir realizá-lo no meio da rua ou o mais distante possível de postes e árvores. A ansiedade deles aumenta junto com o número de estímulos. Então, quanto menos estímulo, melhor.

A ansiedade tem uma relação inversa com a atenção. No pico da ansiedade, o animal já não vai enxergar ou escutar você. Ele estará diretamente ligado ao objetivo dele, ou enlouquecido mesmo com tanto estímulo. Caso seu cão seja do tipo: “totalmente despirocado”, você precisará começar o treinamento dentro de casa, mudando completamente todo erro associado ao início do passeio (que listei no início do post) e ajudando-o a ficar menos ansioso. Abordaremos isso mais detalhadamente futuramente.

Existe uma lenda que diz que os cães devem ir pra rua pra cheirar tudo, fazer o que querem e que o prazer está aí. Realmente é uma lenda. Com tamanha ansiedade, o cão sequer aproveita o passeio, sequer fica atento ao ambiente, ele fica é desembestado mesmo. Ele começa a associar que precisa puxar a guia pra conseguir ir onde precisa e fará isso cada vez mais. Quando o cão sai pra passear calmamente, aí sim… muito prazer para cão e para você!  Aí sim ele vai explorar.

Outra lenda é aquela que diz que o cão precisa andar X quilômetros. Garanto que ele cansará mais num passeio de 20 minutos em treinamento que se puxar você por 1 hora. Já fiz esse teste. Cães em treinamento são muito mais exigidos fisica e mentalmente. Voltam pra casa e só conseguem deitar e dormir (claro que temos exceções).

E PASSEIO NÃO É O COMANDO JUNTO! No passeio, a regra básica é: eu ando quando você não puxa a guia. Puxou, eu paro. Só. Fora isso, o cão estará livre para cheirar matinhos e fazer suas necessidades, andando um pouco mais adiantado ou mais pra trás (RECOLHA A SUJEIRA DO SEU CACHORRO).

O  passeio bem feito nos proporciona um incrível aprendizado sobre nosso cão e nos força a observar reações importantes de nosso amigão, aprender com ele e exercitar a comunicação de forma dinâmica. Novamente: não costuma ser fácil, mas com coerência, paciência e persistência, tudo acaba por se resolver.

É bom alertar que, mesmo com esses exercícios, tem alguns cães que não melhoram. Fora aqueles que, ao invés de puxarem, empacam. Então, é só aguardar os próximos vídeos e posts sobre passeio, onde daremos mais dicas. De qualquer forma, considere a ajuda de um profissional.

 

Abraços e até a próxima semana!

19 Responses to Passeio I – quem leva quem pra passear?

  1. Ana Paula

    Gostaria de andar com meus cães de uma maneira melhor, mas tenho minha que minha lhasa pequena fuja da correira de pescoço, pois seu pescoço é bem fino. Seria interessante se falassem um pouco sobre tipos de correira mais especificamente!

    Obrigada,

    Ana Paula

    • Alessandra Caprara

      Ana Paula,
      A coleira de pescoço deve ser colocada de forma que você consiga passar um dedo (não muito facilmente) entre ela e a pele do cão. Tem que ficar justinho mesmo. O que também pode ser feito é usar as duas guias, uma para o treininho e a outra como segurança. Existem outros tipos de guia que podem ser importadas, mas não tenho experiência com elas e por isso não me sinto à vontade para valar de sua segurança ou eficácia.
      Abraços

  2. Ana Paula

    Correção: *tenho medo que minha lhasa pequena fuja da correira de pescoço

  3. Madzy

    Olá! Estou com um probleminha. Thor (meu labrador de 03 meses) no início passeava tranquilo, do lado esquerdo, não avança em ninguém e talz. Só que de um tempo pra cá ele simplesmente, deita no chão e não quer sair do lugar. Eu chamo ele, brinco ou seja faço tudo! mas mesmo assim ele empaca e não sai do canto, chego até arrastá-lo mas mesmo assim não da resultado. O que devo fazer? Ele não chega nem no portão do prédio que já se deita.
    Agradeço a todos.
    Madzy

    • Ana Hanashiro

      Olá, Madzy!

      Lendo sua mensagem, pensei em algumas hipóteses.

      Aconteceu alguma coisa em um dos passeios que possa ter assustado o Thor (algum barulho, outro cachorro, alguma criança ou pessoa, alguma coisa em movimento)?

      Ele só empaca na hora de sair do prédio ou empaca na rua também? Se você o carregar para passar pelo portão ele vai empacar quando o colocar no chão depois do portão? Ele empaca em qualquer lugar ou somente nessa situação da saída do prédio?

      Será que não está quente demais no horário que você o leva para passear?

      Precisamos de mais informações para tentar lhe ajudar.

      Um abraço,

      Ana Hanashiro

  4. luiza

    Olá Alessandra, gostei muito do seu post!…mas gostaria de saber mais quando o cão empaca :S
    O Lupi, meu shitzu de 9 anos, só sai para passear para fazer suas necessidades e quando as faz já quer voltar para casa, empaca e não anda na direção que quero (só na direção de volta para casa).
    Além disso, ele só vai pra mesma direção sempre quando vamos passear, as vezes tento fazer outro caminho, mas ele não gosta, e não consigo fazer ele andar para a direção que eu quero (tenho medo de puxar muito a coleira e enforcar o bicho…rs).
    Acho que ele não gosta de ir pelo outro caminho pois antes levávamos ele no Veterinário por aquele caminho, e ele meio que pegou um “trauma”, pensa que vai para o vet sempre…
    Consigo fazer ele andar do meu lado ou atrás de mim (ele não me puxa para passear), mas não consigo fazê-lo andar para onde quero! Alguma sugestão?
    Obrigada!

  5. Fabiola Bassetti

    Gostei muito do post de vocês, mas ainda assim não consegui resolver meu “probleminha” com minha cachorra Vick (aprox. 3 a 4 anos, segundo a vet). Resgatei ela de uma rodovia há 4 meses, tinha sido atropelada. Ela sempre adorou passear, embora manque um pouco com uma das patas traseiras, devido ao acidente (ela teve umas hérnia – já operada). Mas há 3 dias ela simplesmente empaca e deita no meio do passeio (na grama, na calçada, onde ela achar melhor). Como ela é pesada (25kg) não consigo carregar no colo, e nada faz ela “desempacar” (chamados, petiscos, sair andando e esperar que ela venha atrás…). O que será que está acontecendo?

    Muito obrigada! Fabíola

    • Ana Hanashiro

      Oi, Fabíola.

      Precisaria investigar melhor. Você reparou se é sempre a mesma distância que vocês percorrem antes que ela empaque, ou é alguma coisa que acontece (um carro que passa, um caminhão, uma pessoa) que a faz parar? Ela está em forma ou acima do peso em relação ao porte dela (você consegue sentir ou ver as últimas costelas ou tem uma camada de gordura em cima)? Você mudou o horário do passeio?
      Consigo imaginar alguns motivos para isso acontecer, como alguma dorzinha, cansaço, calor ou até mesmo a atenção que ela pode estar recebendo quando empaca, mas para lhe ajudar precisamos de mais pistas.
      Conte mais detalhes.
      abs,
      Ana

  6. Fabiola

    Olá Ana!

    Geralmente ela empaca no meio do trajeto, aparentemente, sem motivo algum (barulho, pessoas ou carros). O trajeto não é muito longo, já que tenho medo de forçar as patas dela. Realmente, ela está um pouco acima do peso, e tento justamente fazer mais exercícios com ela para diminuir seu peso. Também acho que ela esteja sentindo um pouco de dor ao caminhar, mas no restante parece estar tudo bem, ela come normalmente e dá sinais de que está bem, faz festa quando nos vê, abana o rabo…será que é melhor evitar o passeio por alguns dias, até que a patinha esteja melhor? Há cerca de 1 semana ela escorregou (ao entrar em casa correndo) e caiu em cima da pata, e pelo peso, pode ter machucado um pouco…

    • Ana Hanashiro

      Oi, Fabíola!

      Converse com o veterinário dela a respeito do sobrepeso e como fazer para colocá-la na linha novamente. E também sobre a questão do passeio por conta das dores que ela sente.
      O passeio é muito importante para um cão, tanto para exercitar o físico como para o bem estar e a saúde mental, por isso eu só suspenderia caso essa fosse a recomendação médica. Se o passeio estiver liberado, diminua o ritmo, faça mais paradas, encurte o trajeto e saia mais vezes no dia. Conforme a evolução da recuperação, aumente gradualmente o percurso e o ritmo.
      E pelo jeito na sua casa o piso é um tanto escorregadio pra ela. Procure evitar excitações nesses lugares para que ela não fique muito agitada e comece a correr e pular, evitando assim novos acidentes.
      Se possível, na próxima reforma da casa, inclua a troca desses revestimento por algum que seja antiderrapante (para cães).
      Eu já testei algumas ceras e produtos que prometem essa propriedade antiderrapante, mas só vi diferença para humanos, infelizmente.

      Espero ter ajudado.
      Obrigada pela participação e conte com a gente!

      abs,
      Ana

  7. Laura santos

    Ana, comecei a ler seus textos e as mensagens respondidas das pessoas e me encantei…
    Tenho um labrador chocolate de 9 meses e pelo o que li aqui, eu faço tudo errado com o meu bebê…rs
    Ele não consegue andar para passear, ele pula …. e pula forte.
    E não pode ver pessoas que ele quer pular em cima, totalmente descontrolado.
    Comecei com a coleira normal e a veterinária indicou o enforcador, mas esse enforcador realmente enforca ele.
    Vou seguir suas dicas para o próximo passeio e tentar se comportar perto dele…
    O meu labrador parece o tazmania , mas é o meu grande amor….
    Beijos, Laura

    • Ana Hanashiro

      Oi, Laura!

      Que bom que estamos agradando e espero estarmos sendo úteis também.
      O uso do enforcador deve ser criterioso. Como você percebeu, é um tipo de coleira que enforca mesmo, então é preciso saber usar para não machucar. É a mesma coisa que uma faca: se souber usar, é bastante útil, mas pode servir para ferir também, então é preciso critério.
      Se você for consistente no treino e seguir à risca a regra do passeio (só avançar quando a guia estiver frouxa e fazendo um “U”), conseguirá fazê-lo entender que é mais legal, vantajoso e divertido lhe acompanhar e assim não será necessário o uso de enforcador. Lembre-se de recompensá-lo sempre que ele estiver fazendo direito, com palavras, carinho e petiscos. A recompensa é o sinal mais importante para ele entender o que é esperado.
      Se você tiver alguma dificuldade, escreva de novo que eu tentarei ajudar, ok?
      Boa sorte com o treino e obrigada por participar.
      bjs,
      Ana Hanashiro

      • Marilia

        Olá Alessandra! Adotei minha cachorra da rua, e acredito que por isso mesmo, ela adora a rua! Vivia fugindo e fica muito ansiosa para passear. No entanto, ela empaca quando dou qualquer sinal de que estamos voltando para casa. Ela nunca volta pelo mesmo caminho que foi, se isso ocorrer ela senta e nada a tira do lugar. Ja tentei ir e voltar sempre por caminhos diferentes, mas no lugar onde moro é impossivel, pois todas as ruas não tem saída, terminam em rotatorias. Ela faz a rotatoria e empaca para nao voltar pelo mesmo caminho. Tentei levar petiscos e funcionou apenas da primeira vez, ela veio correndo seguindo o biscoito, mas parou quando cheguei em frente de casa. Já fiquei mais de 20 minutos tentando faze-la andar algumas vezes. Percebo que ela também empaca quando quer fazer algo e eu não deixo, como entrar na casa de algum vizinho. O que faço com ela? Ninguém quer mais passear com ela pq sempre temos que voltar carregando no colo, e ela é pesada! Obrigada!

        • Alessandra Caprara

          Marilia, precisa verificar o petisco. Um bom prêmio é irrecusável. Ela não trocaria por empacar. Troque por algo mais interessante pra ela e faça o teste.
          Abraço!

          • Marilia

            Bom, infelizmente troquei, e nenhum petisco resolveu! Mas encontrei outro modo que deu certo… Ela tem muito medo de fogos, e em um dos passeios, assim que ela empacou, soltei uma “beribinha” ou estalinho ao lado dela! Ela desempacou como em um passe de mágica, o que nunca tinha acontecido (sempre ficava me ignorando) e correu pra casa. Fiquei com dó, mas felizmente nunca mais precisei usar! Quando ela empaca, apenas mostro a caixa das beribinhas e ela volta a andar normalmente. De uns tempos pra cá nem levo mais a caixa! Acho que ela finalmente entendeu que não é ela a líder rsrs! Obrigada pela ajuda!

          • Equipe Bicho Sem Preguiça

            Marilia, é possível obter resultados desejados usando vários caminhos. Na Bicho Sem Preguiça, procuramos a saúde da relação entre tutor e cão. Por isso não incentivamos o uso de punições antes que todas as outras opções tenham se esgotado.
            Grande abraço

  8. FRANÇOAR DINIZ

    ola boa noite, ANA!

    me chamo FRANÇOAR, vi seu vídeo sobre a questão dos cães que puxam quando estão passeando,estou fazendo esse teste ha alguns dias e esta dando resultado, mas parece que ele já sabe o horário de passear ele fica inquieto e late muito, gostaria de saber o que posso fazer pra ele pare com isso e tentar fazer com que ele possa me obedecer, mas o detalhe é que ele passa o dia todo preso na corrente e já tem 01 ano e 06 meses.

    boa noite!

    • Alessandra Caprara

      Françoar, só pelo fato dele ficar preso o dia todo, já vai dificultar muito o treinamento. Os cães precisam de atividade e pode ser exatamente esse o motivo de toda a agitação. O ideal é dar um jeito de suprir a necessidade de liberdade dele antes. Depois venha contar pra gente!
      OBrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *